Google+ Pictuelle Photography: Efeito placebo, a arte de induzir a mente

14 de julho de 2011

Efeito placebo, a arte de induzir a mente

O efeito placebo é muito conhecido mundialmente, porém, o Brasil é uma exceção. Neste post, conheça o efeito placebo e saiba como usa-lo.


O placebo é como uma “cura” psicolóAtividade cerebral humana e o efeito placebogica, sucessivamente, fisiológica; pode ser uma agulha, uma caneta, um botão, um batom, uma máquina, uma capsula... Em muitos casos, o placebo é aplicado em forma de pílula de açúcar.
O placebo é usado principalmente na medicina, podendo ser aplicado também nos estudos, beleza e muitas outras categorias.

O que faz o placebo e como age no nosso organismo?

O placebo pode fazer mil e uma coisas, dependendo de como seja apresentado.
Uma pessoa não pode usar um placebo por conta própria, pois assim não fará efeito. Damos como exemplo uma pílula de açúcar, que pode ser indicada à uma pessoa com o propósito de fazê-la emagrecer. Caso o paciente esteja convicto de que a pílula de açúcar realmente fará efeito, fará, mas na realidade quem condicionará seu corpo a emagrecer será seu próprio cérebro, mas com uma condição: o paciente não pode saber que trata-se de um placebo, mas sim de um remédio.
O placebo é como uma hipnose, basta condicionar a mente. Porém, não acontece com o paciente em transe, mas sim consciente. A melhor forma de defini-lo seria como uma persuasão.
O efeito placebo relaciona-se diretamente com o otimismo do paciente. Caso a pessoa em tratamento não coloque fé na sua terapia, nenhum efeito causará.
Os efeitos de cura do placebo são impressionantes. Segundo o Dr. Nelson Spritzer, médico nefrologista e cardiologista, o placebo tem influência de 30% a 40% no processo de cura e (ou) tratamento de qualquer doença, inclusive do câncer.
Atualmente o mundo foi manipulado por um placebo. Quem nunca ouviu falar na Power Balance, na tradução para o português, Energia Equilibrada? Trata-se de uma pulseira que promete captar a energia solar e transmiti-la ao nosso corpo, de forma a nos dar mais energia e disposição. Muitos compradores afirmavam: a pulseira faz efeito, mas não passa de uma placebo. A ANVISA não reconheceu o efeito da Power Balance e a própria fabricante do produto admitiu a fraude. Ao saberem disto, automaticamente o efeito do placebo acaba e os consumidores, que antes “notavam” o efeito do produto, já não notam mais.
Veja o vídeo abaixo e saiba mais sobre o efeito.
O que achou? Comente.