Google+ Pictuelle Photography: Harry Potter e a Câmara Secreta

21 de agosto de 2011

Harry Potter e a Câmara Secreta

Poderia ter escrito sobre algo mais recente, mas escolhi este filme porque me contagiou muito, mesmo que tenha deixado a desejar em algumas partes. Minha resenha você acompanha abaixo.

Harry Potter e a Câmara Secreta (filme) – [RESENHA]
Capa do filme Harry Potter e a Câmara SecretaRealmente o filme Harry Potter e a Câmara Secreta segue uma lógica invejável. Raros conseguem conduzir uma obra tão bem quanto Chris Columbus, diretor do filme, Steve Kloves, roteirista, e Joanne Kathleen Rowling, a criadora da saga Harry Potter, cuja escreveu os sete livros e inspirarou os sete filmes, e claro, os antes anônimos e atuais famosos Daniel Radcliffe, Rupert Grint e Emma Watson.
O filme laçado em 2002, que mesmo com uma trama muito envolvente e muito melhor que a primeira, foi um dos maiores fracassos de bilheteria em comparação aos outros da série, atingindo a sétima posição no ranking de arrecadações de bilheteria mundial, com US$878,979,634 de lucros. Trata-se de um valor minúsculo se comparado ao primeiro filme da série, Harry Potter e a Pedra Filosofal (2001), que arrecadou US$974,755,371, ficando em segunda colocação no ranking, perdendo apenas para o último filme da série, Harry Potter e as Relíquias da Morte (Parte II), com US$1,146,000,000 de arrecadações ao redor do mundo.
Logo quando o filme começa temos uma frustração, ao menos eu tive. Temos a estranha sensação de que falta algo no roteiro. E realmente falta. O primeiro filme simplesmente acaba e Harry continua na escola de magia. Ao iniciar o segundo filme, Harry aparece na casa de seus tios. Há uma parte perdida na história, parte esta que deveria ser acrescentada ao fim do primeiro filme. Aí sim o segundo teria mais coerência.
Notei algumas falhas de edição em relação às variações de som entre direita, esquerda, frente e tras. Algumas horas em que o som deveria vir somente da direita, chega até nossos ouvidos balanceado. Isto certamente foi uma falha gravíssima na edição do áudio, fato que desvalorizou os efeitos especiais usados na edição da imagem. Foi uma pena o áudio e a imagem não terem se acertado em algumas situações.
Ainda em relação aos efeitos audiovisuais, gostei muito da parte em que ocorre o jogo quadribol, que Harry pega o ovo dourado. Nesta parte o áudio e a imagem se combinam perfeitamente.
O filme utiliza muitos efeitos especiais, como todo filme de ficção que vem sido produzido ultimamente. Achei os efeitos visuais incríveis para a tecnologia que dispunham na época. Certamente uma grande parte dos gastos da produção do filme foi com a edição geral. A qualidade da imageme e os efeitos especiais de vídeo são bons, analizando o ano de gravação (2002). Mas acho que os efeitos especiais de vídeo poderiam ter sido aperfeiçoados em algumas cenas apenas, principalmente no início do filme, quando Dobby lança uma magia sobre o bolo, que seria servido aos convidados de Válter Dursley (tio de Harry), que sai voando em direção à sala. Notamos, nesta parte, uma negligência total na edição. Na base do bolo, enquanto ele flutua, observamos uma camada esfumacenta. Sem sombra de dúvidas, este efeito ficou ridículo perto de outras computações utilizadas no filme que são muito bem eleborados, como o próprio Dobby, o monstro da Câmara Secreta, a fênix, entre outros.
Mas ao decorrer dos primeiros minutos o filme toma um rumo diferente.
Gostei muito da bagunça organizada pelos autores. Ao meio do filme as coisas parecem irreparáveis. Mas até que tudo começa a se encaixar. Por que Madame Norra foi petrificada? Por que Hermione tinha um espelho em sua mão quando lhe restou o mesmo destino que a gata? Percebi uma grande faclidade dos organizadores do filme em manusearem a história para que tudo desse certo.
A trilha sonora do filme é condizente com o roteiro, porém achei de extremo exagero a música escolhida para retratar a situação em que Harry está na Câmara Secreta e Fawkes, a fênix de Dumbledore, surge com um chapéu em suas garras, objeto que de certa forma salva sua vida e a história da escola.
Apesar de tudo, penso que Harry Potter e a Câmara Secreta foi um grande lançamento, porém não teve o reconhecimento merecido durante sua fase de estréia. Talvez muitos que acompanharam o primeiro filme, Harry Potter e a Câmara Filosofal, tenham se decepcionado, mesmo que o filme seja um sucesso de bilheteria. Temos aí a explicação para o fracasso do segundo filme.
Hoje, o segundo filme da série é muito mais valorizado do que em sua reta inicial. Harry Potter é hoje um dos filmes mais comentados no mundo, sendo mais popular do que vencedores do Oscar, como O Discurso do Rei. O filme ganhou maiores proporções com a estréia das Relíquias da Morte (Partes I e II), edições estas da saga que mudaram o pensamento de muitos, que antes achavam a saga chata e passaram a gostar.