Google+ Pictuelle Photography: Cantando para alguém

2 de novembro de 2011

Cantando para alguém

As flores do jardim
Ouviu-se um ninar ao fim da tarde
Baixo e enigmático
Um som pacificador entrava nos ouvidos

De onde vinha
Não sabia

Guiado pelo som
Do coração naquele instante
Revelado o esconderijo
Das cantoras anônimas
Sem nome, sem alma, sem coração,
Sem nada
Mas a coisa mais pura e ingênua
Da face da Terra
Brancas como a neve
Seu soneto se espalhava com o vento
Para ninguém ouvir
(Só para alguém ouvir)