Google+ Pictuelle Photography: Agora, eu vivo.

4 de maio de 2012

Agora, eu vivo.

Bastou um movimento perdido
para o brilhar do Sol aparecer, mirando meus olhos

Raio, raio de luz
que flechou a menor fresta,
só para me fazer compor.

Afinal, nesta história poética,
lá se vão tantas palavras a descrever só um momento
que a princípio, banalizou.

Depois, como se fosse aquele de coroa
tomou tanta importância só por alguém ter lhe dado atenção.

Um raio de Sol mirou meus olhos,
e eu vivi este momento.


Nota do autor:

Este poema fala sobre a banalização da vida por parte de alguns e da importância que ela tem para outros. Felizmente estou incluído no segundo caso, e sou um dos poucos privilegiados.

Vivi o momento que retratei no poema acima, realmente. Enquanto vivia isto, tive a sorte de sorrir pelo simples tocar da luz na minha pele; por ela chegar aos meus olhos e eu poder não só vê-la, mas sentí-la.

Sei que um poema pode parecer sem sentido, mas faça um esforço para compreendê-lo. Além de ser uma atividade divertida, faz você sentir o que o poeta sentia ou sente.

Obrigado pela vossa ateção,
Mateus.