Google+ Pictuelle Photography: O frio embalou teus sonhos

18 de maio de 2012

O frio embalou teus sonhos

O vento frio, metido entrou
Pela janela que aberta havia deixado.
Sem dó, sem piedade
Esfriou-me com sua frieza.

Uivando, esbravejando, enfim
Lá fora, ele faz um barulhão
Mas aqui dentro, este frio,
Este frio tão gélido,
Acalma-se e compõe uma bela ópera.

Embale meus sonhos
Na mais bela música
Embale meus sonhos
Com esta canção.

Deixa pra lá
Os gritos do vento
Abalar os sorrisos simpáticos
De margaridas, rosas e afins,
Que ali, aqui não nos raiam
Só vagam o nosso jardim.


Nota do autor:

Era uma vez uma janelinha aberta em uma casa. Numa tarde de inverno, o frio não era pouco. E… POW! “Um novo poema saindo!!” E este está quentinho.

Logicamente, o poema oculta palavras – costumamos chamar isto de entrelinhas. Desvende este mistério, vamos! Smiley piscando


HUMOR: inspirado na poesia; admirado pela incapacidade de compreensão de si mesmos por parte de alguns. Admirado ainda, pela frieza com que soam as palavras mudas que foram apenas extraídas do fundo d’alma, onde guarda-se rancor e obscuridade. Estou neutro, nem lá e nem cá. Estou sentimentalmente ofusco.