Google+ Pictuelle Photography: Um momento perdido.

19 de maio de 2012

Um momento perdido.

Apenas tinha balbuciado três palavras. Fiquei estático por um momento, na expectativa de uma resposta… mas nada. Nenhuma única palavra saiu de sua boca.

Com passos calmos, percorri a escuridão até que minhas mãos alcançaram a maçaneta da porta, gélida. De supetão saí daquele lugar, fechando a porta para criar um empecilho a mais. Atento a cada movimento estranho, olhava para todos os lados, esperando encontrar alguma anormalidade. Nada. Repousei, escorando minhas costas na parede azulejada. Aquela luz que piscava indefinidamente, encheu o ambiente de nostalgia, em meio a todo aquele cenário de destruição.

Quanto mais longe das lembranças que o vento e as tormentas não levaram, melhor. Estiquei meu pescoço para ver se a porta havia sido aberta, mas ela permanecia fechada. Continuei me afastando cada vez mais dali.

Subindo a escada quase paralela ao meu corpo, vejo aquela figura sangrenta, marcada pelo passado, olhando-me com certa admiração e aversão. Apressadamente, subi os degraus que faltavam e quando saí do subsolo pela estreita passagem no chão, peguei a arma que havia deixado jogada no chão.

Andei por uma cidade estranhamente normal durante a noite fria de sábado. Todos estavam em seus lares, acomodados com o calor das labaredas e só via-se suas sombras vagarem pelas cortinas. Com passos incertos fui até meu limite, onde não havia mais casas e a luz resumia-se aos faróis dos carros que vez ou outra passavam por ali. Exausto, avistei uma parada onde pude passar uma noite. Era um galpão, provavelmente abandonado.

No outro dia, ao acordar, senti algo estranho na pele de meu rosto. Com a visão ofusca, tentei decifrar o que via. Não consegui. Esfreguei as mãos nos olhos para ver se poderia ajudar. E ao reabrir meus olhos, sem muito esforço pude decifrar toda a situação: era ela, que, deitada ao meu lado com a cabeça erguida, deixava, descuidadamente, seus cabelos me tocarem. Permanecia do mesmo modo como a havia deixado. Sangrenta era a sua pele, triste era sua expressão. Olhos lacrimejantes e boca calada.


Humor: Estou satisfeito por poder promover emoções, mas exausto depois de um dia cansativo.